Artigos

Paulo Bernardo deixará a Comunicação?

Altamiro Borges Publicado em 08.12.2011

Aonde há fumaça, há fogo. Nos últimos dias, aumentaram os boatos sobre a possível saída de Paulo Bernardo do Ministério das Comunicações. Segundo o blogueiro paranaense Esmael Morais, sempre bem informado, o ministro aos poucos vai se desvencilhando de suas tarefas no governo federal para intensificar as agendas públicas no Paraná.

“Em 19 de dezembro, ele participará da inauguração de 501 unidades habitacionais do Jardim Europa em Fazenda Rio Grande, na região metropolitana de Curitiba... Bernardo esteve na semana passada em Tibagi, nos Campos Gerais, onde também participou da inauguração do trevo de encontro entre a BR-153 e a BR-376... Nos meios políticos se especula que Bernardo pode disputar o governo do Paraná, em 2014, no lugar de Gleisi Hoffmann”, ministra-chefe da Casa Civil.

Ministro não descarta saída

Já o jornal Gazeta do Povo noticiou, na sexta-feira passada, que “Paulo Bernardo não descarta trocar o ministério por Itaipu... A possibilidade foi cogitada pelo fato de o atual diretor da usina, Jorge Samek, ser cotado para disputar as eleições de 2012 para a prefeitura de Foz do Iguaçu”. Em entrevista ao periódico, ele não desmentiu cabalmente as especulações.

“O atual ministro afirma ‘estar feliz’ com a atual função, mas não descarta totalmente a possível troca de função. ‘Isso quem irá decidir é a presidente Dilma (Rousseff). Eu não posso falar mais nada sobre o assunto’, salientou... Parte da cúpula petista no Paraná já dá como certa a candidatura de Samek [em Foz]. Se essa probabilidade se concretizar, Bernardo deve ser indicado a ocupar a vaga de diretor-geral da Itaipu. Com isso, o cargo no Ministério das Comunicações ficaria aberto, o que daria maior margem de maleabilidade para a reforma ministerial do governo federal que deve ocorrer no próximo ano”.

Cadê o marco regulatório?

Estas especulações são altamente preocupantes, já que podem representar novo adiamento do debate sobre o marco regulatório da mídia. Em audiência com os movimentos sociais, em abril passado, o ministro se comprometeu a apresentar, ainda neste ano, um projeto para consulta pública. Caso esteja arrumando as suas malas em Brasília, a tendência é que o tema volte à estaca zero. Seria um desastre!

Fonte: Blog do Miro