Prosa@Poesia

2 r – Desejo IV

Yêda Schmaltz Publicado em 21.08.2015

A reinvenção de mitos gregos é exemplar de um processo recorrente na obra da autora goiana. Nesse processo, os arquétipos mitológicos femininos são tratados em diferentes e sucessivos livros, de modo a revelar as diversas etapas do crescimento psicológico da mulher. A personagem Ecos, diferentemente da narrativa original, supera a rejeição e vence os desafios da relação amorosa. Essa superação faz com que o eu lírico alcance o amor autêntico, que perpassa obrigatoriamente pela valorização de si mesmo, pelo auto-amor, para só em seguida distribuí-lo aos outros.

 

Leva-me à sala do Banquete,
através desses portais de cerejeira,
sobre o luxo felino dos tapetes
e a luz dos candelabros de cristais.

Sobre a mesa de rendas e damascos,
a beleza dos copos e dos pratos,
os talheres de prata com marfim,
a supremacia dos cálices e taças.

E haverá do pão de cada dia,
o vinho doce e tinto e derramado
em mancha que nodoa até o fim.

Serei o prato principal, a especiaria
à mesa do banquete ao qual me levas,
onde Platão cantou os donos de Eros.

 

Livro: Ecos (A Jóia de Pandora)
Autora: Yêda Schmaltz
Prêmio da Bolsa de Publicações: “Hugo de Carvalho Ramos” 1995
Editora: Kelps / Secretaria da Cultura de Goiânia- Goiás 1996