Prosa@Poesia

Viração – Aldo Rebelo ( 1980)

Aldo Rebelo Publicado em 28.10.2013

Viração  ( 1980)


I


Estudantes do Brasil
Companheiros de ação
Vamos pedir no momento
Sua importante atenção
Para lhes falar da UNE
Nossa luta e eleição

 

II


Em Piracicaba São Paulo
Com um sucesso profundo
A UNE realizou
Seu trigésimo segundo
Congresso Nacional
Um dos maiores do mundo

 

III


Esse Congresso de peso
Faz nossa luta avançar
E as melhores propostas
Viemos a unificar
E com todo mundo unido
A coisa tem de mudar

 

IV


Várias chapas se inscreveram
Concorrendo a eleição
São colegas do país
Todos com boa intenção
Nós aqui representamos
A de nome VIRAÇÃO

 

V


VIRAÇÃO nasceu da luta
Do estudante brasileiro
Do Sul do Norte e Nordeste
Nós botamos companheiro
Do Sudeste e Centro- Oeste
A chapa está por inteiro

 

VI


A educação é hoje
Totalmente abandonada
O governo militar
De verba não lhe dar nada
Fizemos a VIRAÇÃO
Para dar uma virada
Na grave situação

 

VII


Na nossa Universidade
Tudo falta nada tem
Falta giz apagador
Laboratório também
Falta quadro e professor
E os cofres sem um vintém

 


VIII


Exigimos doze por cento
De verba pra educação
Que do povo é um direito
Do governo obrigação
Doze por cento de verba
É um clamor da nação

 

IX


A cada mensalidade
O nosso bolso se esvai
De aumentos abusivos
Já ninguém aguenta mais
Com VIRAÇÃO na cabeça
Aumento não vai ter paz

 

X


Do jeito que as coisas andam
Não dá gosto estudar mais
O ensino está voltado
Prás multinacionais
Parece até que o MEC
Tá nas mãos do satanás

 

XI


Lutamos pelo ensino
Voltado pro nosso povo
Pela tecnologia
Voltada pro país novo
Que vai nascer dessa luta
Qual pinto nasce do ovo

 

XII


Ao lado do professor
Também do funcionário
Que travam luta conjunta
Pra melhorar o salário
Isso tudo fortalece
O bloco universitário

 

XIII


Vivemos dias difíceis
Todo o Brasil reconhece
A cada dia que passa
A vida mais endurece
Mas na dureza da vida
A força do povo cresce

 

XIV


A política do governo
Só contempla o capital
O operário faz greve
O governo desce o pau
E lhe dá como resposta
O arrocho salarial

 


XV


A inflação descambou
Já passa dos 100 por cento
Com 60 bi de divida
Já é um descaramento
Num ano o feijão subiu
De 400 por cento

 

XVI


O governo põe a culpa
Nas guerras do Oriente
Querendo enganar o povo
Que afirma descontente
Os fabricantes da crise
Que segurem a boca quente

 

XVII


Mas pra nós não há segredo
Já temos todas as pistas
Os culpados pela crise
São os grandes capitalistas
Os barões do latifúndio
E a fera imperialista

 

XVIII


VIRAÇÃO entra na luta
E vai virar vendaval
No entreguismo absurdo
Nós vamos descer o pau
Defendendo a Amazônia
O petróleo e o Pantanal

 

XIX


Carajás Alacoa e Jica
Calculam seu lucro a giz
Bordon e Wolksvagen
É o que todo mundo diz
Ou seguram Delfim Neto
Ou ele vende o país

 

XX


Os índios são massacrados
Mortos a tiro de fuzil
As reservas invadidas
Crime bárbaro e vil
VIRAÇÃO já se levanta
Pelos índios do Brasil

 

XXI


Cancelaram a eleição
Ameaçam o Parlamento
Expulsaram o padre
Por não crê em fingimento
Podem ser excomungados
Por ferir os mandamentos

 

XXII


No  cortiço do governo
Só reina a desunião
É um acusando o outro
De jogo e corrupção
Quando um dá um cochilo
O outro mete o ferrão

 

XXIII


E agora desandou tudo
Perdeu-se a pontuação
Parece que a besta fera
Tomou conta da  nação
O Ministro da fazenda
Sequestrou um avião

 

XXIV


E pra completar o quadro
Da grave situação
Uma onda de terror
Se alastra por nosso chão
Pelo fim dos atentados
Terroristas na prisão

 

XXV
Com os anseios populares
VIRAÇÃO é solidária
Por uma vida melhor.
Por uma frente unitária
Liberdade independência
Saúde e reforma agrária.

 

XXVI


Pra nadar nessa maré
Precisa muita vontade
É urgente unir o povo
Contra essa insanidade
Derrubar a ditadura
Conquistar a liberdade

 

XXVII


E nessa perspectiva
VIRAÇÃO é confiante
Em uma constituinte
Que leve a luta adiante
Abrindo as portas ao povo
Para novos horizontes

 

XXVIII


Pelos direitos do homem
Haveremos de lutar
De amar e de sorrir
De ouvir e de falar
Colher a água do pote
Beber dormir e sonhar

 

 

XXIX


Acreditando nos homens
É que a VIRAÇÃO brotou
Na certeza que algum dia
Seja lá que dia for
Exista uma mesa farta
Toda enfeitada de flor

 

XXX


É muito importante a UNE
Olhar o horizonte azul
E se solidarizar
Com os povos de Norte a Sul
Especialmente os que vivem
Nas garras do Cone Sul

 

XXXI


Os estudantes do mundo
Travam luta por igual
Do Irã a Nicarágua
De El Salvador no Nepal
Contra o imperialismo
Pela libertação nacional

 

XXXII

Com a UNE filiada
Numa decisão global
A OCLAE e UIE
Entidades em geral
Que dá força pra luta
No plano internacional

 

XXXIII


A mulher discriminada
É um atraso senil
A opressão duplicada
Se da de forma sutil
VIRAÇÃO já se levanta
Pela mulher do Brasil

 

XXXIV


No lado universitário
Já faz vergonha falar
Em cargos de direção
A mulher não pode entrar
Nesse quadro infame e triste
Vamos botar para quebrar

 

XXXV


Pra desenvolver o homem
A cultura é importante
A cultura é eleva a vida
Abre mais horizonte
A vida inspira a cultura
É a sua própria fonte

 


XXXVI


Por isso nós precisamos
Dedicar nossa atenção
Ao conto poesia e teatro
Onde houver inspiração
Para a UNE abrir as portas
A este mar de criação

 

XXXVII


VIRAÇÃO parte para luta
Disposta como um dragão
Convocando os estudantes
Para votar na eleição
Fortalecer nossa UNE
Elegendo VIRAÇÃO.

 

Aldo Rebelo