Prosa@Poesia

As Aventuras da Negra Fulô

Maurício Macedo Publicado em 01.03.2011

Engana-se quem pensa
que a Negra Fulô se contenta
em viver no poema tão belo
que Jorge de Lima criou.

A negra foge do poema, conhece novos personagens, ama, brinca, dança, luta,
morre, ressuscita...

Vive grandes emoções,
enfrenta grandes perigos...

E em situações-limite
retoma sempre ao porto seguro
- o monte das musas,
onde o tempo se traduz
em beleza e eternidade.

Acompanhemos, então,
a negra em suas aventuras que a Poesia tem razões que a História desconhece.


Postado no Blog A poesia de Maurício de Macedo - http://mauriciodemacedo.blogspot.com/