Artigos

Varsóvia já tem também sua Praça Tahrir

Alex Corsini Publicado em 13.07.2011

Milhares de manifestantes reuniram-se em Varsóvia após uma convocação do célebre sindicato Solidariedade, protestando contra a política econômica do governo e, principalmente, contra a política social que adotou o governo do primeiro-ministro Donald Tusk.

"Nosso sindicato reivindica, principalmente o aumento do salário mínimo (que neste momento é de 350 euros mensais), a provisória redução do imposto sobre os combustíveis e a ampliação de acesso à Previdência Social", declarou Piotr Duda, presidente do Solidariedade.

Os manifestantes concentraram-se na Praça Pilsudsky (a Praça Tahrir dos poloneses revoltados), no centro da cidade, onde assistiram a um concerto musical, antes de marcharem contra a sede do Parlamento e do governo. Um grande balão foi içado sobre a cidade com o slogan "Vocês fazem política e nós vivemos na miséria", enquanto os manifestantes gritavam "sabemos que vocês mentem".

O Solidariedade chama a atenção para o alto percentual de desemprego registrado na Polônia, o qual supera 12% da população economicamente ativa. "Queremos com tudo isso mostrar ao governo, assim como a toda a Europa, que a Polônia é um país que enfrenta sérios problemas de desigualdade social, altos preços, baixos salários e elevado desemprego entre os jovens", destaca o sindicato em seu jornal.


_____________

Fonte: Monitor Mercantil