[email protected]

Coração batendo sem que se ouça

Nicolai Assiéiev Publicado em 01.06.2009

*

Dias se sucedem, 
semanas se sucedem,
torvelinham
num galope célere;
como se cavalgássemos
sobre um tempo de aço
voando
- olhos abertos – 
pelo espaço.
Assim a vida,
ela nos atravessa –
o ouvido zoa,
o coração dispara,
como
se quisesse
saltar para
fora,
- é só o que lhe resta!

Se alguém 
tenta detê-lo,
ele se altera:
toca a rebate, 
dá por paus e pedras!

E quantas vezes
o coração 
explode
e não se ouve
a explosão
que o sacode.

1959

(Tradução de Haroldo de Campos)

Poesia russa moderna – Nova antologia
Traduções de Augusto e Haroldo de Campos
Com a revisão ou colaboração de Boris Schnaiderman
Editora Brasiliense – edição 1985